20 abril, 2008

Reflexões - A caminho do fim do Homem livre

Repare-se no sub-título sugestivo/apelativo: controlar os filhos!! Como se esse fosse o grande desiderato dos mentores do sistema! Quando derem conta ninguém dá um passo na Conchichina que não se saiba de imediato na América.
Meditem bem para onde isto nos leva!

Media e Comunicações
Cada vez mais serviços, cada vez menos privacidade
Telemóveis vão permitir controlar os filhos


2008/04/13 12:20Redacção / PGM
Disponível para empresas, passa a estar acessível também a particulares.
Localizar, sejam carros ou pessoas, é uma das grandes inovações tecnológicas dos pequenos aparelhos que invadiram o nosso quotidiano e rapidamente se tornaram imprescindíveis, os telemóveis, refere o «Diário de Notícias».
Localização Celular é o serviço da Vodafone lançado em finais de 2000 para empresas. Basta disponibilizar um telemóvel para cada funcionário que o sistema permite localizá-lo, nomeadamente «no interior dos edifícios e zonas densamente arborizadas», anuncia a operadora.
A localização é feita através do cartão SIM, circuito impresso tipo smart card utilizado para «identificar, controlar e armazenar dados do telefone celular» e é também possível nas outras operadoras. A TMN chama-lhe Localizz e a Optimus Geo SMS. Entretanto, o sistema foi alargado aos automóveis, o que permite sempre saber onde está cada viatura.
Agora, pretende-se alargar o serviço a particulares, de forma a que seja possível a localização de pessoas, tendo o porta-voz da TMN garantido que o seu lançamento está para breve. O público-alvo são as crianças e o sistema surge como uma forma dos encarregados de educação garantirem a segurança dos menores. Esta é a versão soft, porque também se pode considerar que os pais estão a violar a privacidade dos filhos.

1 comentário:

João disse...

Em breve, todos nós teremos um ship introduzido no nosso corpo com todos os dados sobre: a nossa localização, locais que frequentamos, o nosso registo criminal, hábitos de consumo, etc..

Vai ser mais uma ferramenta para sermos controlados e manipulados pelo(s) poder(es) instituído(s).